1

Professores da Uneb decidem pela continuidade da greve

Por: O Diario OLD
11/04/2019
204

Em assembleia realizada nesta última quarta-feira (10), professores da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) decidiram pela continuidade da greve por tempo indeterminado. De acordo com a Associação dos Docentes da Universidade do Estado da Bahia (Aduneb), os docentes demonstraram indignação com as posturas do governo nesse início de greve, “que vem tentando confundir informações e colocar a opinião pública contra os professores”.

Durante a assembleia, a coordenadora da Aduneb, Ronalda Barreto, fez o repasse de uma reunião ocorrida entre as representações docentes, deputados da Assembleia Legislativa e representante da Secretaria de Relações Institucionais. Embora não tenham apresentado nenhuma proposta concreta, os políticos acenaram com a possibilidade de serem os mediadores entre o movimento grevista e o governo, segundo a associação.

Já os docentes demonstraram disposição ao diálogo, porém, defenderam a manutenção da paralisação até que as negociações sejam realizadas e a pauta de reivindicações atendida. A categoria pretende intensificar as estratégias de mobilização e protesto.

Recursos

Segundo a Aduneb, entre os fatos que aumentaram a indignação dos docentes está a informação de que o governador faria a “liberação imediata” de R$ 36 milhões para ser repartido entre as quatro instituições de ensino. A associação ressalta que o orçamento em questão não significa um acréscimo, mas apenas a antecipação de um recurso que já pertencia à Uneb e está previsto no atual orçamento. “Portanto, a ação não dialoga com a pauta da categoria docente”, considera a Aduneb.

Folha de pagamento

A Aduneb também contrapôs a informação do governo de que nos últimos quatro anos houve um crescimento da folha de pagamento dos servidores em 19,35%. Segundo a categoria, o último aumento real, ou seja, acima da inflação, ocorreu apenas em 2013. Já o pagamento da recomposição da inflação é negado aos servidores públicos desde 2016, que, acumulado, causa uma corrosão dos salários dos docentes, superando os 25%.

“O percentual informado pelo governo é decorrente apenas dos incentivos de pós-graduação (um direito da categoria) e, resultantes de vagas por falecimentos, aposentadorias ou exonerações que foram usadas para as poucas promoções”, diz a associação.

Encaminhamentos

Durante a assembleia, os docentes solicitaram o agendamento de uma reunião com o reitor da Uneb, José Bites, e outra com o Fórum dos Reitores das quatro estaduais baianas.

Como uma das ações de intensificação da mobilização, ontem, em frente ao Shopping da Bahia em Salvador, aconteceu um grande ato público. A manifestação, convocada pelo Fórum das ADs, contou também com a presença de estudantes e servidores.

O tema da manifestação foi “A educação também merece investimento tamanho G”. O objetivo do ato é dialogar com a sociedade baiana sobre os motivos para a greve das universidades.

 

Fonte: Ascom/Uneb

 

O Diario OLD

2112121

Comente sobre a Materia

Create Account



Log In Your Account